Então, é importante saber ouvir os relatos dos pacientes para conseguir um diagnóstico preciso da síndrome das pernas inquietas (SPI) ou doença de Willis-Ekbom.

  • Parece que bichos andam em minhas pernas.
  • Minhas pernas têm vontade própria.
  • Sou controlado(a) pela vontade das minhas pernas.

Estes são relatos comuns nos consultórios de quem atende pacientes com a SPI, ou seja, os pacientes têm sensações bem específicas e que se repetem de um paciente para outro.

O que é ?

É um distúrbio que acomete com frequência pessoas que não possuem outros distúrbios. Ela não tem ligação com problemas emocionais, ou seja, ainda não se sabe ao certo o que causa a SPI. Sabe-se no entanto que o consumo de cafeína e de cigarro tende a piorar os casos e também identificou-se uma ligação com a deficiência de ferro. Acontece normalmente quando o paciente está em repouso, bem comum ao se deitar para dormir, este é o motivo de elas interferirem diretamente no sono. Embora tenha o nome de síndrome das pernas inquietas, ela pode afetar também os braço e costuma ser resolvida com o simples movimento de alongamento do membro afetado.

Sintomas

Os sintomas podem varia de leve à moderado, na maioria dos casos não precisa de tratamento. Porém, em alguns casos mais graves ela chega a causar prejuízos no sono, causando doenças secundárias a privação do sono. Vamos citar aqui alguns dos sintomas comuns:

  • Vontade incontrolável de mexer as pernas e braços quando em repouso, quer seja no cinema ou na cama.
  • Sensação forte de desconforto nas pernas forçando a movimentá-las.
  • Movimentos involuntários de chutes durante a noite, que perturbam o sono da pessoa.
  • Dores nas pernas, formigamentos, fisgadas e pontadas.

Tratamento

O tratamento das pernas inquietas vão desde técnicas de relaxamento como a Yoga em casos leves. Em casos graves o uso de medicamentos para aliviar a dor caso ela seja incapacitante e interfira no dia a dia do paciente.

Leia alguns artigos sobre distúrbios do sono:

Consulte nossas lojas: VITALGAS