Antecipadamente é muito importante ressaltar que a escolha da máscara de CPAP é uma das etapas mais importantes da adaptação do CPAP, se não a mais importante. Então, é imprescindível a orientação de um profissional especializado para estar escolhendo a máscara de CPAP. Sendo assim, a forma de dormir, claustrofobia, doenças nasais e vários outros fatores podem influenciar na correta adaptação da máscara do CPAP se torna fundamental para uma boa noite de sono.

Tipos de máscaras

Sao vários os tipos de máscaras usados no tratamento da apneia do sono, são eles: Pillows, Nasal e Oronasal.

Pillow

As máscaras no estilo Pillows, são excelentes no quesito liberdade e conforto. Este estilo de máscara, possui duas olivas que "repousam" por fora das narinas e deixam o rosto livre. São máscaras perfeitas para quem assiste TV, ou lê antes de dormir (não é recomendado) e/ou têm algum tipo de claustrofobia. No entanto, como todas as máscaras ela pode gerar alguns incômodos. Estes incômodos são mais acentuados em pessoas com doenças nasais do tipo rinite. Devido ao fluxo intenso, acentuado pela saída de ar pequena nas olivas, ela pode causar maior irritação nasal. Esta irritação pode chegar até ao sangramento (epistaxe), claro que são casos bem raros que têm sangramento, mas não é incomum a irritação.

Também é importante saber que dentro de cada modelo de máscara existem vários tipos, tamanhos, formatos e marcas diferentes. Então mesmo que se saiba o modelo da máscara é importante testar para definir as outras caraterísticas. NUNCA CONFUNDIR MÁSCARAS PILLOW COM PRONGAS NASAIS, as Prongas entram nas narinas e não são usadas em tratamento para apneia.

Nasal

De antemão é importante dizer que as máscaras nasais são as mais tradicionais no tratamento do CPAP. Como o seu nome já define, elas são máscaras que pegam apenas o nariz e diferente das máscaras do tipo Pillow, não ficam diretos nas foças nasais. As mais tradicionais cobrem todo o nariz e têm um apoio na testa. Porém, com o desenvolvimento da tecnologia foram surgindo máscaras nasais que dão tanta liberdade quanto as máscaras com pillow. A vantagem destes novos modelos de máscaras nasais é que elas não têm o fluxo intenso no nariz, ou seja, ela não causa os desconfortos da máscara com pillow. Sem o desconforto da irritação nasal e com a liberdade das máscaras com pillow, hoje estes novos modelos de máscaras nasais são as mais vendidas no mundo e mais bem aceitas também.

Oronasais

Enfim, as máscaras oronasais, muito usadas de forma errônea em pacientes que alegam abrir a boca durante a noite (todo mundo abre a boca à noite) e que alegam respirar pela boca. Sabe-se hoje que as máscaras oronasais são as que proporcionam mais vazamentos, devido ao tamanho da área de contato no rosto. Além disso, foi descoberto recentemente, que em pacientes respiradores bucais, as máscaras oronasais podem causar apneia do sono. Devido ao fluxo de ar do CPAP, o paciente com uma máscara oronasal ao respirar pela boca, lança toda a pressão de ar na língua, que em alguns casos é pressionada sobre a via aérea causando apneia do sono. Estas descobertas recentes, tornaram as máscaras oronasais, máscaras de indicação relativa para o uso com CPAP, porém muito usada em hospitais para terapias com BiPAP.

Conclusões

A escolha da máscara de CPAP é uma escolha pessoal, porém mesmo com esta escolha do paciente, deve haver um especialista para estar escolhendo a máscara de CPAP e ter a orientação do uso e possíveis problemas. A escolha da máscara é a parte mais importante no uso do CPAP, procure sempre um especialista.