Rampa

Vamos saber mais sobre o CPAP e suas funções. Primeiramente a rampa é uma função que é comum a todo CPAP, do mais simples ou CPAP automático, ou seja, é uma ferramenta padrão. Então, vamos falar primeiro que existem dois tipos de rampa, a rampa padrão e a rampa inteligente. Antecipadamente, vamos falar da rampa padrão, ela é usada para que o início da terapia seja feito com uma pressão mais suave. Portanto, se ajusta a pressão inicial em um nível abaixo da pressão de tratamento e programa-se o tempo que ela vai levar até subir à nível da pressão de tratamento. A rampa automática tem basicamente a mesma função, porém, só é preciso ajustar a pressão de início e ela, detecta quando o pacientes está dormido e inicia o tratamento.

É muito importante ter em mente que a função de rampa em nada tem a ver com a função de CPAP Automático. A primeira tem uma pressão de início e encerra quando começa o tratamento, a segunda é o tratamento em si. A rampa automática tem outros nomes em diferentes marcas.

Conforto

Devido ao fluxo de ar intenso e sabendo-se que na exalação o CPAP não atua na apneia do sono, criou-se o alívio expiratório. Sendo assim ele funciona ao ser iniciada a exalação do paciente e pode ser ajustado em níveis, alguns em cm/H2O, outros em intensidade do alívio. O alívio da expiração veio para ajudar na adaptação ao CPAP, porém, não existe evidência científica que comprove sua eficácia. Sabe-se também que o ajuste da função de conforto está associada a eventos de apneia do sono, por isso deve-se monitorar de perto a função de conforto. O que acontece é que muitas vezes após o alívio na expiração o CPAP não consegue retornar à pressão de tratamento em tempo. Pode acontecer também, em alguns tipos de alívio que geram uma pressão inspiratória, a apneia central devido ao fato de o paciente hiperventilar.

Automático

A função automática é uma função através de um algoritmo que passa toda a noite analisando a respiração do paciente. Ele ajusta a pressão quando percebe uma redução na passagem de ar ou vibração gerada pelo ronco. Após subir a pressão ele tenta reduzir novamente analisando sempre se a perda da abertura das vias aéreas, assim o modo automático tenta tratar com a menor pressão possível. Mesmo no modo automático não se pode deixar as pressões livres e sem acompanhamento, é preciso ajustar as janelas de pressão para dar mais conforto ao paciente e garantir a eficácia do tratamento. Em contrapartida, não foi identificada nenhuma vantagem em termos de eficácia no tratamento, quando comparamos o CPAP fixo e o automático, porém este último promove maior independência ao paciente.

Umidificação

Então, o sistema de umidificação é tem a função de aquecer e umidificar o ar que sai do CPAP sob pressão. O ar do CPAP pode irritar as vias aéreas superiores, principalmente o nariz e principalmente em pessoas que têm alergia. Portanto o umidificador é uma peça fundamental para o tratamento com o CPAP, algumas marcas já trazem ele ligado ao CPAP e sem possibilidade de usar sem ele. Existem hoje em dia os umidificadores automáticos que tentam se ajustar as alterações do ambiente. A necessidade de umidificador depende do paciente e do ambiente (umidade relativa do ar).

Advertências

É interessante saber sobre o CPAP e suas funções, porém como vimos aqui se mal ajustadas elas podem prejudicar o tratamento e por a terapia a perder. Procure um profissional especializado para realizar o seu tratamento e programar seu CPAP.

Conheça nossas lojas físicas: VITALGAS